Noronha lança cadastro de fazedores de cultura do arquipélago

Noronha lança cadastro de fazedores de cultura do arquipélago

A administração de Fernando de Noronha, através da Superintendência de Turismo, Cultura e Esportes, lançou esta semana o Cadastro Noronhense de Cultura (CNC). O objetivo é cadastrar profissionais do segmento cultural, organizar e sistematizar informações relevantes do setor para utilizá-las na elaboração de políticas culturais no arquipélago.

“É fundamental que tenhamos um banco de artistas e fazedores de cultura que retrate com a maior transparência nossa realidade, para que possamos planejar políticas públicas que atendam a este setor. Estamos muito felizes, pois o cadastro vai possibilitar sabermos quem são os nossos artistas e o que eles fazem”, disse o Administrador de Noronha, Guilherme Rocha.

Para se cadastrar, é preciso ser morador da Ilha e fazer parte de algum segmento cultural. O cadastramento é virtual e já está disponível no site de Noronha. Basta acessar o link http://www.noronha.pe.gov.br/cnc/ e preencher o formulário. Para responder a ficha de cadastro, é preciso dos seguintes dados: RG, CPF, Comprovante de residência em Noronha (temporário ou permanente) e o portfólio que apresente todos os trabalhos feitos na Ilha.

De acordo com a superintendente de Turismo, Giovana Rodrigues, o CNC é o primeiro passo para que os profissionais do setor de cultura da Ilha sejam reconhecidos.
“O cadastro vai ajudar a entender melhor as necessidades dos profissionais de cultura e contribuir no planejamento do setor, trazendo mais benefícios para essa classe”, afirma Giovanna.

Após fazer o cadastro no site, os profissionais serão incluídos na classe cultural de Noronha, ou seja, serão mapeados e terão seus trabalhos registrados e reconhecidos. Segundo a Virginia Anghinoni, integrante do Conselho de Cultura do estado, todos os profissionais envolvidos com a cultura (cantores, músicos, audiovisuais fotógrafo, produtores culturais, videomakers, profissionais de gastronomia, artesanato, circo, dança, teatro, capoeira) poderão participar de editais locais.

“Com esses cadastros, os artistas noronhenses não vão depender só dos editais nacionais. A concorrência é só entre eles, moradores da Ilha. Pessoas de fora não vem para concorrer com os artistas daqui e isso é muito grandioso. É um olhar diferenciado para a cultura de Fernando de Noronha”, comemora Virgínia.

Compartilhe esta postagem


pt Português
X