Ação de saúde Bucal em Noronha realizou busca ativa para tratar lesões orais

Ação de saúde Bucal em Noronha realizou busca ativa para tratar lesões orais

A administração de Fernando de Noronha, através da Superintendência em Saúde, em pareceria com a Faculdade de Odontologia do Recife (FOR), realizou a quinta edição da ação de busca ativa de lesões orais, entre os dias 1 e 4 deste mês. O projeto, que é desenvolvido pelo Núcleo de saúde Bucal da ilha, ocorre todo ano e consiste na busca de lesões orais em pacientes predispostos ao desenvolvimento de câncer de boca. Foram selecionados trinta pacientes, mas apenas dez aceitaram ser examinados. Dos pacientes analisados, três biópsias foram realizadas.

Desenvolvemos essa ação uma vez por ano, para fazer a identificação das pessoas que reúnem maiores condições de desenvolvimento de lesões na boca, como: fumantes, alcoólatras e os que trabalham muito expostos ao sol. Para os pacientes que precisaram só de medicação, a equipe de saúde bucal agendou uma consulta no posto. Para os casos que necessitaram de uma investigação maior, solicitamos a biópsia” disse a gestora de Saúde Bucal da Administração de Noronha, Yeda Vidal.

Para os pacientes serem pré-selecionados nesta ação, a equipe de saúde bucal do arquipélago, junto com a dentista e os agentes de saúde, fizeram uma busca ativa avaliando a boca do paciente. Eles visitaram essas pessoas e identificaram os que possuem lesões com a necessidade de tratamento e biópsias. Para os pacientes que precisaram fazer biópsia, o material foi enviado ao Recife para análise, sem a necessidade do deslocamento deles ao continente.

O tratamento quando necessário é realizado na própria ilha e as biópsias são realizadas no IMIP. Caso seja necessário tratar no continente, o processo é feito através da equipe de odontologia hospitalar do IMIP tendo como referência o próprio hospital.

De acordo com a especialista em diagnósticos de doença de boca, Drª Fabiana Mota, durantes os cinco anos do projeto, nunca foi detectado casos de lesões mais graves como o câncer.

Graças a Deus durante esses anos do projeto não detectamos nenhum câncer, mas descobrimos várias lesões, como: leucoplasias (lesões espessas dentro da boca) e queilite actínica (lesões pela radiação solar). Para esses tipos de lesões prescrevemos medicações e orientações aos pacientes, para evitar o fumo, o álcool, a exposição solar e tudo que evolui para um câncer”, afirmou a dentista.

Texto: Bruna Woolley

Compartilhe esta postagem


pt Português
X