Arqueologia

ADMINISTRAR O PATRIMÔNIO é zelar pela memória e tratar da herança patrimonial. Isto implica em compreender como a sociedade se relaciona com os bens reconhecidos como herança e identificar outros repertórios culturais, com significados atribuídos ao longo do tempo, que sejam referências à auto-estima e autodeterminação dos cidadãos.

Muitos desafios se apresentam: promover a preservação patrimonial, com base no desenvolvimento local, por meio de ações inclusivas; consolidar bases de pesquisa, com vistas à produção de conhecimento sobre o ambiente insular; e incrementar as ações sócio-educativas e o uso dos equipamentos turístico-culturais para ações pedagógicas, voltadas à educação pelo e para o patrimônio.

Para tal, as diversas atividades recomendadas foram definidas em linhas gerais no Programa de Salvaguarda e Programa de Comunicação do Plano Diretor de Gabinete de Arqueologia.

Os dados podem ser utilizados livremente desde que se faça referência ao Gabinete de Arqueologia da ADEFN como fonte de informação, agradecendo-se que, sempre que detectarem deficiências, lhe seja comunicado, de modo a proceder-se à respectiva correção. Estas informações deverão ser transmitidas através de e-mail: arqueologia@noronha.pe.gov.br.

Participe desta experiência! Reflita, questione, avalie e seja um voluntário no monitoramento dos bens patrimoniais do Arquipélago Fernando de Noronha.

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Donec hendrerit vehicula est, in consequat. Curabitur euismod facilisis neque, eu malesuada diam.

No conjunto das iniciativas do Gabinete de Arqueologia se insere a criação de linhas de pesquisa, que promovam a interdisciplinaridade das áreas de conhecimento afins ao campo do patrimônio cultural e ambiental, com o objetivo de conhecer as características do universo patrimonial do território insular. Acredita-se que, desta forma, o alcance e eficácia das ações de preservação se ampliem.

Ações de Salvaguarda se incumbem dos problemas de conservação e documentação dos componentes patrimoniais. O desafio é gerar um processo contínuo de conservação e manutenção, qualificação de mão-de-obra, colaboração técnica/intercâmbio nacional e internacional. Os propósitos são:
» Estabelecer os critérios de conservação das estruturas arquitetônicas e dos sítios arqueológicos, por meio de monitoramento das estruturas, mapeamento dos danos e dos tratamentos preventivos;
» Registrar os componentes patrimoniais (tangíveis e intangíveis), segundo valores históricos, científicos, sociais, artísticos e paisagísticos existentes no arquipélago, para que se transformem em acervos constituídos, com vista à construção de interpretações;
» Desenvolver e implementar ações de tratamento, armazenamento, indexação, digitalização e gerenciamento das informações de acordo com a natureza dos acervos e referências patrimoniais.

Bens Tombados
› Fortaleza Nossa Senhora dos Remédios: tombada pelo IPHAN em 1961
› Igreja Nossa Senhora dos Remédios: tombada pelo IPHAN em 1981
Bens em Processo de Tombamento
› Sistema Fortificado do século XVIII: em processo de tombamento pelo IPHAN
Sítios Arqueológicos Registrados no CNSA/IPHAN
› Fortaleza Nossa Senhora dos Remédios
› Forte São Pedro do Boldró
› Forte Santo Antônio
› Forte Nossa Senhora da Conceição
› Reduto Sant’ Anna
› Forte São João Batista dos Dois Irmãos
› Forte São Joaquim do Sueste
› Forte Bom Jesus do Leão
› Aldeia dos Sentenciados
› Armazém Agrícola
Zona Histórico-Cultural
› Santo Antônio / Air France
› Vila dos Remédios
› Italcable
› Floresta Velha
› Vila do Trinta
› Boldró
› Três Paus
› Vila da Quixaba
› Base da Marinha Americana / Estrada Velha do Sueste.

Administrar a comunicação para a fruição e entendimento do universo que nos cerca e para os questionamentos sobre a memória, implica construir estratégias consistentes, voltadas tanto para o público local como para o público em trânsito. O Gabinete de Arqueologia assume dois campos de interlocução: por um lado, procura-se envolver a camada escolar, através da criação de ações e materiais pedagógicos; e por outro lado, são desenvolvidas ações de valorização turísticas culturais e científicas, quer através da dinamização de espaços museológicos já existentes, quer através da valorização de outros componentes histórico-arqueológicos e ambientais, por meio de roteiros que auxiliem na construção de consciências que possam refletir diferentes realidades.

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Phasellus blandit massa enim. Nullam id varius nunc. Vivamus bibendum magna ex, et faucibus lacus venenatis eget.

Entende-se como planejamento na administração do patrimônio o conjunto de procedimentos e operações técnicas referentes à seleção, tratamento, documentação, interpretação e extroversão dos componentes patrimoniais, visando a preservação destes enquanto referências patrimoniais e projetando-os como recursos turístico-culturais.

Avaliar esses procedimentos requer instrumentos para monitoramento e diálogo, a fim de refinar as metodologias de trabalho de salvaguarda e comunicação e, assim, consolidar uma dinâmica de trabalho pautada na gestão compartilhada. Nossa preocupação é com os resultados obtidos, as transformações geradas e o envolvimento da sociedade, enquanto colaborador no desenvolvimento da ação preservacionista.

Neste contexto, a ação voluntária se dá através de programas estruturados para melhorar o desempenho da proposta central do Plano Diretor do Gabinete de Arqueologia.

Participe você também como voluntário! Se você identifica-se com a missão de administrar o patrimônio por meio da gestão compartilhada e percebe que pode contribuir com seus conhecimentos profissionais e interesse de pesquisa e educação, cadastre-se via internet [cadastro on-line].

Links Relacionados:
› www.iphan.gov.br
› www.itaucultural.org.br/arqueologia
› www.max.org.br
› www.magmarqueologia.pro.br
› www.mae.usp.br
› www.cadernosociomuseologia.ulusofona.pt

pt Português
X