Fernando de Noronha

Acontece em Noronha

05/06/2020 - Combate ao Lixo Marinho

A Semana do Meio Ambiente, realizada pala Administração de Fernando de Noronha, terá como encerramento uma oficina virtual de confecção de coleções de lixo marinho, ministrada pela Profa. Dra. Mônica da Costa, do Departamento de Oceanografia da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). A data do término da programação, 05, marca também a comemoração do Dia do Meio Ambiente. Por causa do isolamento social, durante toda a semana foi disponibilizada uma série de publicações virtuais, com textos e vídeos diários relacionadas ao meio ambiente. O material está disponível no site oficial da administração (www.noronha.pe.gov.br).


A oficina virtual é um resumo de um curso teórico e prático de 8 horas desenvolvido pela Recolixo, uma rede de troca de experiências entre materiais (lixo marinho), que chama atenção para a variedade de lixo encontrado nos oceanos. Na ocasião, o curso tem o objetivo de incentivar pessoas e instituições a montarem e manterem coleções científicas utilizando o lixo marinho como tema motivador. “A função da Recolixo é distribuir pequenas coleções para que outras instituições possam a partir delas, crescerem as suas. Para isso, nós separamos itens interessantes que pudessem chamar a atenção dos visitantes do museu e dos pesquisadores. Colocamos em potinhos, identificados com uma fichinha sobre a história de cada um e fizemos as doações”, explica Mônica Costa.


Em Fernando de Noronha, o programa Noronha Plástico Zero busca reduzir o lixo gerado pelas pessoas através da proibição da entrada, comercialização e uso de plásticos descartáveis na ilha. O objetivo é zerar a produção desses resíduos no arquipélago. Com o programa, Fernando de Noronha contribui, em uma esfera global, com a diminuição do lixo marinho. “Noronha foi o primeiro lugar do país a adotar as medidas de proibição de entrada e comercialização de descartáveis. Após pouco mais de um ano do programa na ilha é possível perceber uma mudança significativa nas atitudes da população, dos comerciantes e dos turistas que visitam o arquipélago”, disse o administrador da Ilha, Guilherme Rocha.


Em ações de limpeza de praias são comuns volumes cada vez maiores de bitucas de cigarro, tampas de garrafas, canudos, garrafas plásticas, copos, pratos e talheres descartáveis que poluem os oceanos e prejudicam a vida marinha. Segundo o Plano Nacional de Combate ao Lixo no Mar, lançado em 2019 no Brasil, uma das soluções para o problema do lixo marinho é a redução desses resíduos pelas pessoas. Em 2016, durante o Fórum Econômico Mundial de Davos, conforme estudo conduzido pela Fundação Ellen MacArthur, foi feito um alerta sobre o sistema atual de produção, utilização e descarte de plásticos. Se nada mudasse, em 2050 os oceanos teriam mais plástico do que peixes.


“Tendo em vista o enorme impacto ambiental associado à poluição por plásticos nos oceanos e os desafios práticos da remoção de décadas de plástico acumulado nos ambientes costeiros e marinhos, a prevenção, tal como vem sendo tratada em Fernando de Noronha, mais do que a remediação, constitui uma forma prática e eficiente de combater o lixo marinho”, acrescenta a superintendente de Meio Ambiente, Daniele Mallmann.



Ainda de acordo com Daniele, é preciso que as pessoas façam a sua parte em não jogar lixo na rua, em praias, trilhas, corpos d’água ou qualquer outro local sem acondicioná-los adequadamente; evitar o uso de utensílios descartáveis; se esforçar para evitar os plásticos do cotidiano, como embalagens de produtos de higiene pessoal e limpeza; não utilizar produtos que contenham microplásticos, como cosméticos e pastas de dente com esfoliantes sintéticos; participar das ações de limpeza de praia; reduzir o máximo que puder sua geração de resíduos e descartar de forma adequada (seguindo o manual e o calendário de coleta seletiva).


A seguir, Fabiane Vilela (Educadora Ambiental EREM), Juliana Poncioni (Diretora da Parley pelos Oceanos – Brasil), Rafael Pinheiro (Colaborador da Alma Solar), Túlio César (Coordenador Minuto Noronha) e Bodão (Mergulhador Mar de Noronha) falam sobre a importância de combater o lixo marinho em uma ilha oceânica.

VEJA OS VÍDEOS:

Fabine Vilela

Juliana Poncioni

Rafael Pinheiro

Túlio César

Bodão

Mônica Costa

Outras Notícias

  • Fernando de Noronha 2013© - Todos os Direitos Reservados