Fernando de Noronha

Acontece em Noronha

11/06/2018 - Administração de Noronha participa de audiência pública na Alepe sobre incidentes com tubarões

O administrador de Fernando de Noronha, Plínio Pimentel, participou de uma audiência pública na manhã desta segunda-feira, 11, na Assembleia Legislativa de Pernambuco, com a finalidade de debater os impactos econômicos e ambientais dos ataques de tubarões no estado. A audiência pública conjunta foi ideia das comissões de Desenvolvimento Econômico, presidida pelo deputado Aloísio Lessa, e de Meio Ambiente da Alepe, presidida pelo deputado Zé Maurício. A reunião contou com a participação de representantes do setor produtivo, secretários, Corpo de Bombeiros, Comitê Estadual de Monitoramento de Incidentes com Tubarões (Cemit), pesquisadores e estudiosos do departamento de Pesca e Aquicultura da UFRPE.

Plínio Pimentel ressaltou a importância da audiência na tentativa de buscar alternativas para que novos incidentes com animais marinhos não acontecem novamente na orla do estado. “Essa iniciativa é louvável, de muita relevância para o nosso estado. Particularmente, falando em Fernando de Noronha, não há registros de queda do turismo por conta dos ataques de tubarão no litoral pernambucano. Historicamente, a ilha está acostumada a conviver com os animais. É extremamente salutar esse encontro para que a gente possa construir algo educativo para a população e para os turistas que vem a Pernambuco. Nós criamos um grupo de trabalho em Noronha onde participam bombeiros, ICMBio, Administração local, Governo do Estado, trade turístico, no intuito de construir ações para todos os que visitam o arquipélago possam saber conviver naquele ambiente”, destacou o administrador da ilha.

A administração distrital realizou no último mês de abril o primeiro curso de emergência aquática, como parte do cronograma de ações de prevenção para a redução do número de incidentes aquáticos nos diversos cenários, inclusive possíveis afogamentos. Uma cartilha está sendo confeccionada com diversas informações para serem entregues por arte-educadores no aeroporto, pousadas, restaurantes e nas praias do arquipélago.

Leonardo Veras, presidente do Instituto Tubarões de Fernando de Noronha, fez uma pequena palestra durante o evento, mostrando os tipos de tubarão que passam pela ilha e explicando os casos que já aconteceram em Noronha. Segundo ele, uma das alternativas para diminuir que outros incidentes aconteçam é justamente a conscientização das pessoas por meio da educação ambiental, além de pesquisas contínuas. “O noronhense já sabe conviver com os animais marinhos, então é preciso reforçar isso com o turista, porque ele não conhece a rotina do local”.

Para o secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Carlos André Cavalcanti, esse é um assunto recorrente. Porque todos os pernambucanos têm no imaginário a questão do tubarão. Segundo ele, a problemática envolvendo o animal atacando banhistas na costa do estado é o resultado de uma série de fatores, numa visão multidimensional, partindo das mudanças climáticas, as vulnerabilidades ambientais que afeta todos os ecossistemas e biomas do planeta. “Pernambuco tem feito um esforço no sentido de analisar, diagnosticar as vulnerabilidades ambientais frente as mudanças do clima. Essa região metropolitana, que vai do Rio Jaboatão até o Rio Timbó, em Paulista, apresenta a maior densidade populacional do litoral brasileiro, com mais de mil habitantes por quilômetros quadrados. Então existe uma pressão nesses ambientes. E ainda o problema da poluição dos rios. Se adaptar é mudar comportamento. Tem tudo a ver com educação e pesquisa aplicada. Esse processo precisa ser intensificado para a mobilização da sociedade. Precisamos tomar medidas integradoras, onde a população atue como protagonista na mudança comportamental. O governo precisa tomar uma decisão, mas precisamos ouvir os especialistas para decidir qualquer coisa”.

O encontro convocado pelo deputado Aluísio Lessa, foi realizado no auditório Sérgio Guerra, e foi solicitado por empresas do setor turístico, que se preocupam com possíveis abalos na quantidade de visitantes por conta dos últimos casos envolvendo banhistas e tubarões. “O objetivo foi debater e enriquecer o assunto com possíveis soluções para diminuir incidentes nas praias de Pernambuco. Vai ser feito um relatório com as todas as informações e sugestões obtidas na audiência para posteriormente definirmos pontos estratégicos que vão ser enviados para o Governo e órgãos competentes”, declarou o parlamentar.

Texto: Ney Anderson

Outras Notícias

  • Fernando de Noronha 2013© - Todos os Direitos Reservados